Hitachi

Compartilhe:

Translate:

PT EN

Projeto potencializa resultados com tecnologia amigável da Hitachi.

Dê play no vídeo "Estudo de Caso: Resultados - SESI/SENAI-SP" (1min. 25sec.)

Desde o início de sua concepção, em meados de 2012, o projeto Nanomundo recebeu 23.500 pessoas, entre o público comum e alunos do sistema SESI-SENAI de São Paulo. O curso de Nanoimersão, iniciado em março de 2013, já atendeu cerca de 500 alunos do Ensino Médio (dados de junho de 2013), despertando no jovem a curiosidade, o interesse, e trazendo o conhecimento para os alunos do SESI-SP e SENAI-SP.

“A ciência nasce da dúvida e não da fé, então nossos alunos estão aprendendo a duvidar das coisas e buscar novos conhecimentos. Nesse processo, eles acabam se tornando pessoas bastante inconformadas, irriquietas, interessadas nesse conhecimento, nas explicações das razões. É nisso que nós estamos apostando em um programa como esse”, diz Walter.

“Eles entram aqui (na escola móvel) e ficam de boca aberta. Quando a gente começa a mexer nos equipamentos, eles não querem sair de perto, ficam muito interessados, realmente desperta o interesse deles”, relata Nathália.

Com um produto amigável e de fácil manuseio como o Microscópio Eletrônico de Varredura TM3000, a Hitachi segue dando sua contribuição ao projeto, tornando o estudo da Nanotecnologia e da Nanociência uma experiência cada vez mais fascinante e amigável para jovens e crianças.

"Eu descobri que tem um mundo bem menor do que a gente imagina. Eu nunca podia imaginar que eram os pelinhos da pata da lagartixa que faziam ela grudar na parede."

Gabriel aluno do SENAI-SP

"Eu percebi que nada é como a gente vê. Tem milhões de coisas menores que a gente pensa que não existem, mas através da nanotecnologia a gente consegue enxergar essas coisas."

Kaico aluno do SENAI-SP