Skip to main content

Hitachi

Hitachi no Brasil

Do mainframe às interações negociais: a evolução tecnológica da informação

Enganou-se quem um dia pensou que a evolução da tecnologia da informação seria assunto restrito aos ramos propriamente tecnológicos. Nos dias atuais o impacto de inovações científicas nos negócios é maior do que nunca, inclusive já nem é mais considerado uma novidade.

Potencializada pela pandemia, a tecnologia se instalou de vez na maioria dos setores existentes no mercado negocial brasileiro e mundial. O digital (TI) hoje é uma metodologia e uma estratégia de organização de empresas ao mesmo tempo que está presente na busca de melhoria social e preservação ambiental. Vamos entender um pouco mais como todo esse processo se deu de seu nascimento até os dias de hoje?

Evolução histórica da tecnologia da informação no meio social

O início da trajetória longa e virtuosa das tecnologias se deu no período pré-histórico, quando os primeiros homens desenvolveram ferramentas indispensáveis à caça. A próxima invenção significativa foi a manipulação do fogo e, claro, a roda.

Necessárias à sobrevivência humana, a primeira fase evolutiva deu o pontapé para que a humanidade não parasse de buscar melhorias, então a roda já não era apenas isso: o automóvel foi inventado, afinal a praticidade passou a ser um dos vieses da evolução tecnológica.

Mas não parou por aí, além de poder se movimentar na Terra, que tal caminhar na lua? Um pequeno passo para o homem foi, de fato, um grande passo para a humanidade. Diversas evoluções tecnológicas aconteciam simultaneamente desde as indústrias até as formas de comunicação.

Falando nisso, o telefone fixo foi criado para facilitar a vida em sociedade e a comunicabilidade à longa distância e, mais que isso, se tornou o telefone celular, que hoje faz de tudo e mais um pouco. E o computador? Antes ocupava uma sala inteira, hoje tem espessura média de 1cm a 5cm com peso que não passa de 1kg e são infinitamente mais rápidos e desenvolvidos que o modelo arcaico.

A forma de entretenimento também foi otimizada: a televisão chegou, antes em preto e branco, e hoje colorida com resoluções inacreditáveis. Mas afinal, o que tudo isso tem a ver com o papel da tecnologia no mercado negocial? Tudo! Se não fossem essas inovações e evoluções, ainda viveríamos em uma era de exclusão digital.

Mas, tudo tem um preço. Ao ponto que qualquer um atualmente tem acesso a formas de tecnologia, as empresas não podem cruzar os braços frente aos desafios sociais e ambientais: desde a Revolução Industrial, a degradação ambiental está crescente, então se um futuro é almejado, ele deve ser planejado.

Não há mais espaço para empresas que não possuem consciência social e ambiental – não é a toa a obrigatoriedade de licenciamento ambiental no Brasil – ou para economias que não visam proteger os bens naturais do planeta – bioeconomia. Então, por que não usar a protagonista das maiores mudanças já vistas à favor do planeta terra e da sociedade?

E a tecnologia da informação hoje, como se aplica?

Se no início a tecnologia visava melhorar as formas com que o homem primitivo se alimentava, hoje ela trabalha tanto para isso como também para que a humanidade evolua constantemente e inteligentemente, mas sem prejudicar o ambiente em que vivemos.

E-commerces, aplicativos digitais, home office, produção, uso e armazenamento de energia limpa, mobilidade humana sustentável, migração de serviços industriais repetitivos para automatizados, melhor armazenamento de dados, setores empresariais inteiramente dedicados às técnicas de bussiness intelligence, entre outras coisas estão na fase atual da evolução da tecnologia da informação. E, ao que tudo indica, esse processo não tende ao fim.

Inovação tecnológica, ambiental e social: tecnologia de negócios

A visão negocial não só evoluiu como também possui uma terminologia só dela quando se trata da digitalização de atividades negociais. E também um setor! Não é incomum encontrar atualmente grandes empresas com um setor especializado na pesquisa e implantação de tecnologias de informação, inclusive, um dos cargos com maior ascensão no mercado é o de Chief Information Officer (ou Diretor(a) de Tecnologia da Informação), o CIO.

Mas o que ela significa? A conceituação mais básica sobre ela parte da premissa de que negócios, métodos, estratégias e produtos são criados de forma a adaptar o ambiente e as interações internas e externas às novas tecnologias. Uma organização só irá evoluir se prestar atenção nesse precursor.

Nesta era da TI, os gestores têm que estar familiarizados com as ferramentas tecnológicas que podem auxiliar no crescimento da empresa e da sociedade, pois a transformação digital chegou para ficar.

A fim de alavancar o crescimento de empresas, os gestores têm que integrar e sistematizar processos internos a fim de que reúnam informações necessárias à análise da atividade empresarial. Mesmo não sendo novidade, investir em desenvolvimento tecnológico faz parte do que é conhecido como projetos inovadores. Nesse sentido, tenha acesso às 8 dicas de como colocar uma empresa na trilha tecnológica e sair da mesmice também aqui em nosso blog!

A inclusão digital é uma via de mão dupla, então tem de haver harmonia entre os setores públicos, privados, ambientais e tecnológicos. A Hitachi já atua no sentido de primar a vida inteligente, e sua empresa?

Enganou-se quem um dia pensou que a evolução da tecnologia da informação seria assunto restrito aos ramos propriamente tecnológicos. Nos dias atuais o impacto de inovações científicas nos negócios é maior do que nunca, inclusive já nem é mais considerado uma novidade.

Potencializada pela pandemia, a tecnologia se instalou de vez na maioria dos setores existentes no mercado negocial brasileiro e mundial. O digital (TI) hoje é uma metodologia e uma estratégia de organização de empresas ao mesmo tempo que está presente na busca de melhoria social e preservação ambiental. Vamos entender um pouco mais como todo esse processo se deu de seu nascimento até os dias de hoje?

Evolução histórica da tecnologia da informação no meio social

O início da trajetória longa e virtuosa das tecnologias se deu no período pré-histórico, quando os primeiros homens desenvolveram ferramentas indispensáveis à caça. A próxima invenção significativa foi a manipulação do fogo e, claro, a roda.

Necessárias à sobrevivência humana, a primeira fase evolutiva deu o pontapé para que a humanidade não parasse de buscar melhorias, então a roda já não era apenas isso: o automóvel foi inventado, afinal a praticidade passou a ser um dos vieses da evolução tecnológica.

Mas não parou por aí, além de poder se movimentar na Terra, que tal caminhar na lua? Um pequeno passo para o homem foi, de fato, um grande passo para a humanidade. Diversas evoluções tecnológicas aconteciam simultaneamente desde as indústrias até as formas de comunicação.

Falando nisso, o telefone fixo foi criado para facilitar a vida em sociedade e a comunicabilidade à longa distância e, mais que isso, se tornou o telefone celular, que hoje faz de tudo e mais um pouco. E o computador? Antes ocupava uma sala inteira, hoje tem espessura média de 1cm a 5cm com peso que não passa de 1kg e são infinitamente mais rápidos e desenvolvidos que o modelo arcaico.

A forma de entretenimento também foi otimizada: a televisão chegou, antes em preto e branco, e hoje colorida com resoluções inacreditáveis. Mas afinal, o que tudo isso tem a ver com o papel da tecnologia no mercado negocial? Tudo! Se não fossem essas inovações e evoluções, ainda viveríamos em uma era de exclusão digital.

Mas, tudo tem um preço. Ao ponto que qualquer um atualmente tem acesso a formas de tecnologia, as empresas não podem cruzar os braços frente aos desafios sociais e ambientais: desde a Revolução Industrial, a degradação ambiental está crescente, então se um futuro é almejado, ele deve ser planejado.

Não há mais espaço para empresas que não possuem consciência social e ambiental – não é a toa a obrigatoriedade de licenciamento ambiental no Brasil – ou para economias que não visam proteger os bens naturais do planeta – bioeconomia. Então, por que não usar a protagonista das maiores mudanças já vistas à favor do planeta terra e da sociedade?

E a tecnologia da informação hoje, como se aplica?

Se no início a tecnologia visava melhorar as formas com que o homem primitivo se alimentava, hoje ela trabalha tanto para isso como também para que a humanidade evolua constantemente e inteligentemente, mas sem prejudicar o ambiente em que vivemos.

E-commerces, aplicativos digitais, home office, produção, uso e armazenamento de energia limpa, mobilidade humana sustentável, migração de serviços industriais repetitivos para automatizados, melhor armazenamento de dados, setores empresariais inteiramente dedicados às técnicas de bussiness intelligence, entre outras coisas estão na fase atual da evolução da tecnologia da informação. E, ao que tudo indica, esse processo não tende ao fim.

Inovação tecnológica, ambiental e social: tecnologia de negócios

A visão negocial não só evoluiu como também possui uma terminologia só dela quando se trata da digitalização de atividades negociais. E também um setor! Não é incomum encontrar atualmente grandes empresas com um setor especializado na pesquisa e implantação de tecnologias de informação, inclusive, um dos cargos com maior ascensão no mercado é o de Chief Information Officer (ou Diretor(a) de Tecnologia da Informação), o CIO.

Mas o que ela significa? A conceituação mais básica sobre ela parte da premissa de que negócios, métodos, estratégias e produtos são criados de forma a adaptar o ambiente e as interações internas e externas às novas tecnologias. Uma organização só irá evoluir se prestar atenção nesse precursor.

Nesta era da TI, os gestores têm que estar familiarizados com as ferramentas tecnológicas que podem auxiliar no crescimento da empresa e da sociedade, pois a transformação digital chegou para ficar.

A fim de alavancar o crescimento de empresas, os gestores têm que integrar e sistematizar processos internos a fim de que reúnam informações necessárias à análise da atividade empresarial. Mesmo não sendo novidade, investir em desenvolvimento tecnológico faz parte do que é conhecido como projetos inovadores. Nesse sentido, tenha acessoàs 8 dicas de como colocar uma empresa na trilha tecnológica e sair da mesmice também aqui em nosso blog!

A inclusão digital é uma via de mão dupla, então tem de haver harmonia entre os setores públicos, privados, ambientais e tecnológicos. A Hitachi já atua no sentido de primar a vida inteligente, e sua empresa?